Artigo Inteligência Emocional

A Inteligência emocional e seus 5 pilares, e como o mundo precisa disso …
1. Reconhecer as próprias emoções (Autoconsciência)
2. Saber lidar com as próprias emoções (Autocontrole)
3. Reconhecer as emoções dos outros (Empatia)
4. Saber lidar com as emoções dos outros (Habilidades Sociais)
5. Automotivação

FATOR CRÍTICO PARA O SUCESSO PROFISSIONAL, A INTELIGÊNCIA EMOCIONAL FINALMENTE ESTÁ SE DISSEMINANDO

Demorou para chegar ao ramo profissional, e mais ainda ao chegar no Brasil, mas felizmente hoje, a falta de inteligência emocional, isto é, a incapacidade de lidar com as próprias emoções e também com a dos outros, não serve mais de desculpa.

Se eu lhe perguntasse: você conhece alguém que acumulou riqueza e é extremamente impulsivo? Ou ainda, conhece alguém que se irrita e “explode” com facilidade, e ainda assim é bem sucedido? A resposta bem provável para estas questões é: NÃO.

Ainda que a impulsividade em si não seja uma emoção, isto é, ela é apenas acheter viagra um “veículo” de alguma emoção oculta, ambos os exemplos acima devem ser tratados com o uso de Inteligência emocional.

As 4 emoções básicas e recorrentes do ser humano, o medo, a raiva, a tristeza e a alegria, possuem formas positivas e formas negativas de serem externalizadas, e é nisto que se concentra a inteligência emocional. Uma pessoa pode sentir medo e ir para o lado negativo, ou seja, paralisar-se, ou para o lado positivo, e de repente fazer deste medo energia para realizar ações que jamais seriam realizadas sem medo. O que muda, é a tratativa que você dá quando ele aparece. Uma das formas aumenta o medo, a outra, o dissipa.

Seja qual for sua posição, você pode e deve se beneficiar dos aprendizados em inteligência emocional. Hoje, através de livros como Inteligência Emocional, de Daniel Goleman, workshops, EADs, ou assessments para levantamento de competências, formas são o que não faltam para ser uma pessoa emocionalmente inteligente. Dê o primeiro passo, e boa sorte.

Por Rodrigo Magalhães